Embraer assina acordo com a maior parte de suas bases.

A fabricante de jatos Embraer disse nesta segunda-feira que assinou acordos com sindicatos da maior parte de sua base de funcionários no Brasil. Com exceção da base em São José dos Campos, onde fica a principal fábrica da companhia.

Os acordos foram assinados com os sindicatos que representam os trabalhadores em Botucatu, Gavião Peixoto, São Paulo, Sorocaba e Taubaté.

Foi aprovado o pagamento de um abono fixo de 4 mil reais por funcionário. Independente da faixa salarial, que será pago em 30 de novembro. Além disso, o reajuste sobre o salário nominal será de 5 por cento partir de janeiro de 2017.

“Em São José dos Campos, os trabalhadores também aprovaram a mesma proposta. Para ser efetivada, falta ainda a formalização do acordo. Este que foi coletivo entre a Fiesp e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos”

Em 17 de novembro, a Embraer informou que a proposta havia sido aprovada pelos funcionários de São José dos Campos. A proposta foi uma das duas apresentadas pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirmou que o anúncio da empresa significa descumprimento do acordo. O acordo era aprovado em assembleia dos trabalhadores, que previa pagamento de abono nesta quarta-feira.

“Essa postura da Embraer é um total desrespeito aos trabalhadores. O sindicato fez sua parte, os trabalhadores aprovaram a proposta, agora falta a Embraer cumprir o acordado”. Disse o vice-presidente do sindicato, Herbert Claros, em nota.

O reajuste e o abono acontecem em meio à negociação de acordo de dispensa temporária de funcionários (layoff). O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos contempla suspensão de trabalho por 2 a 5 meses em grupos. E visa atingir até dois mil empregados.